Sais Minerais

São compostos iônicos que podem ou não estar dissociados, e quando estão, originam cátions e anions. Dividem-se em dois diferentes grupos: 

Macroelementos Íons encontrados em grande quantidade. Sódio, potássio, cálcio, fósforo, cloro e magnésio são considerados macroelementos, pois a necessidade diária dessas substancias no ser humano é superior a 100mg. 

Sódio (Na+): Atua no controle da pressão osmótica do sangue e na propagação de impulsos nervosos.Sua deficiência no organismo ocorre pela perda excessiva de liquido, como por exemplo, as diarréias, doenças renais ou uso inadequado de diuréticos (responsáveis pelo aumento do volume urinário, que geralmente são utilizados para controlar a hipertensão), que causam fraqueza, redução da pressão arterial e até convulsões.

Potássio (K+): Corresponde a cerca de 5% do total de minerais presentes no nosso organismo. Age no balanço e na distribuição de água, alem de participar da contração da musculatura cardíaca e das atividades neuromusculares. A deficiência do potássio pode provocar muitas disfunções como vômitos, redução de reflexos, falta de ar, pressão baixa, alteração do ritmo dos batimentos cardíacos, etc. Porém o excesso do mesmo pode também ocasionar paralisia muscular, confusão mental e parada cardíaca.

Cálcio (Ca²+):Está presente nos ossos e dentes. As principais fontes desse sal são o queijo, os vegetais de apresentam folha verde-escuras, os moluscos, a sardinha e o salmão. Além disso, o cálcio participa dos processos de coagulação, transmissão nervosa, regulação dos batimentos cardíacos e atuação das enzimas.Sua falta ocasiona a osteoporose, raquitismo, paralisia muscular e hipertensão arterial (hipocalcemia), mas se o consumirmos em quantidades excessivas, podemos perder a função renal, a formação de cálculos renais e até apresentarmos alguns distúrbios psíquicos (hipercalcemia).

Fósforo:Suas principais fontes são as carnes vermelhas e brancas, ovos, legumes e frutas oleoginosas. É imprescindível na alimentação porque atua na formação do DNA e do RNA. Desempenha um importantíssimo papel na obtenção de energia e forma o ATP.

Cloro (Cl-): Participa do equilíbrio ácido-base para a manutenção do pH sanguíneo.  Está presente em alimentos enlatados, carnes e alguns vegetais.

Magnésio (Mg²+):Atua na formação de ossos e dentes, no funcionamento do sistema nervoso e muscular, na síntese de ácidos graxos e proteínas, entre outros.Sua deficiência pode levar à perda de apetite, náuseas, vômitos, sonolência, tremores e taquicardia, e o excesso à hipotensão, problemas respiratórios, distúrbios cardíacos e inibição da calcificação óssea.

Microelementos:A necessidade humana das substancias a seguir é inferior a 100mg diários.

Ferro (Fe²+):A quantidade presente no nosso corpo varia de 2 a 5g, sendo 75% parte da hemoglobina presente nas hemácias, que é responsável pelo transporte de oxigênio na respiração. A fonte mais conhecida é o fígado de boi. A deficiência do ferro é responsável pela anemia, e o excesso pode levar a alterações hepáticas, convulsões e queda de pressão.

Zinco (Zn²+):>Participa das reações de síntese e decomposição dos alimentos, e é essencial em várias enzimas, já que é responsável pelo crescimento do ser humano e por sua reprodução. Podemos encontrar-lo nos frutos do mar, peixe, carne bovina, leite, cereais, nozes, feijão e etc.A deficiência do zinco causa retardo do paladar e atraso no crescimento corporal.

Cobre (Cu2+):É responsável pela mobilização do ferro para a síntese de hemoglobina, alem da produção de adrenalina. Os alimentos que possuem maior quantidade de cobre são as ostras, o fígado, o chocolate, as nozes e alguns legumes secos.Sua falta ocasiona a desmineralização óssea, anemia e alterações nos glóbulos brancos do sangue. O excesso pode causar náusea, diarréia, hemorragia gastrointestinal e icterícia (pele e mucosas amarelas). 

Manganês (Mn²+):Desempenha a reprodução humana e é responsável por seu crescimento. Sua concentração geralmente é alta em tecidos ricos em mitocôndrias. As principais fontes de manganês são damasco, nozes e grãos de cereais.A deficiência no organismo pode acarretar a perda de peso, afetar a reprodução e causar deformações no esqueleto. Já o excesso pode fazer com que haja esquizofrenia e mal de Parkinson.

Iodo (I-):É concentrado principalmente na tireóide e nos músculos. Suas funções são a produção de hormônios, o crescimento e a produção de energia. Frutos do mar, algas, peixes e lentilha são ricos em iodo.Sua falta pode levar ao hipotireoidismo (deficiência na produção de hormônios) e ao bócio (aumento do volume da glândula tireóide). O excesso causa inibição na produção dos hormônios tireoidianos.

Flúor (F-): Faz parte dos ossos e dentes, e atua no crescimento e reprodução humana. Sua principal fonte é a água fluoretada.A deficiência do flúor pode levar à osteoporose e a caries, enquanto o excesso pode acarretar a corrosão da mucosa gástrica, inibição enzimática e manchas no esmalte dos dentes.

About these ads
Esse post foi publicado em Sais Minerais. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s